Pagina Inicial da UNIFESP

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Início Docentes
Docentes

Amália Neide Covic

Pesquisadora responsável no Instituto de Oncologia Pediátrica - Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer/ Universidade Federal de São Paulo pela produção de estudos na perspectiva fenomenológica que abordam a problematização dos processos de reconhecimento do aluno gravemente enfermo segundo os modos emotivo, cognitivo e social. O método é predominantemente da pesquisa ativa sendo a construção dos dados produzida pela análise das diferentes enunciações que circulam nos espaços escolar e hospitalar. Quanto aos aspectos clínicos oncológicos e educacionais que se apresentam longitudinais, derivam de pesquisas fundamentadas em evidências com corpus aberto. O eixo de análise vai de encontro ao aluno gravemente enfermo quando tangencia a vivência comum entre a aprendizagem de conteúdos escolar percorrida por caminhos distintos daqueles que tradicionalmente ocorrem e as relações entre as equipes de profissionais escolar e hospitalar com os alunos e seus familiares. A extensão das propriedades do meio pesquisado se dá no Conhecimento em ação nas diferentes áreas da educação básica, no Contemporâneo, morte e processo de escolarização e na Análise social e simbólica dos diferentes modos da vulnerabilidade se fazer presente na construção de identidades. Nos projetos de mestrado e doutorado, incluem-se as seguintes temáticas de investigação: A organização da ação escolar de alunos submetidos aos longos processos de tratamento; O corpo doente enquanto signo; O repertório de necessidades escolares; Os alunos em condições de fim de vida e aprendizagens significativas e As vulnerabilidades éticas, políticas e antropológicas da construção de identidades dos sujeitos envolvidos com as ações que se relacionam com o aluno gravemente enfermo.

 

 

Claudia Berlim de Mello

Linhas de pesquisa: Neuropsicologia do desenvolvimento, com ênfase no desenvolvimento de funções cognitivas (especialmente funções executivas e memória). Analise do fenótipo neurocognitivo e comportamental em síndromes genéticas. Inter influências de variáveis maturacionais e sócio-culturais no desenvolvimento cognitivo de crianças com lesões cerebrais congênitas e adquiridas. Investigação da eficácia de programas de intervenção (reabilitação holística ou educação sócio-emocional) em contexto clinico e educacional.
 

Claudia Lemos Vóvio

Doutorado em Lingüística Aplicada pelo Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp (UNICAMP, 2007)
Dedica-se aos temas da alfabetização, letramento e formação do professor-alfabetizador, com ênfase na análise das oportunidades educacionais relativas ao processo de ensino e aprendizagem de Língua Portuguesa, tomando a escola e as práticas pedagógicas como objetos de análise, bem como os contextos de interação em aula. Privilegia estudos orientados para a construção de sociedades integradas e fundadas na igualdade de oportunidades e que promovam a democratização do acesso à educação com qualidade para todos. Tem interesse em pesquisas aplicadas, com caráter etnográfico, que se organizam em torno de escolas localizadas em contextos de forte vulnerabilidade social e cultural, o que, de variados modos, acabam por afetar a construção de trajetórias escolares e a produção de identidades coletivas por crianças e adolescentes que habitam esses territórios, e, de modo específico, o desenvolvimento de aprendizagens relativas à aquisição e aos usos da língua escrita. Fundamenta-se nos estudos da linguagem, numa perspectiva sócio-histórica e cultural, e das ciências da educação (sociologia da educação e didática), especialmente aqueles voltados à análise de mecanismos de exclusão que se engendram no interior das instituições escolares.
 

Cleber Santos Vieira

Desenvolve pesquisas sobre as implicações da cultura impressa no processo de escolarização da criança e do adolescente. Abarca pesquisas que compreendem os contextos de produção, circulação e apropriação dos artefatos textuais como campo de pesquisa interdisciplinar. Desse modo, mobilizando ferramentas teóricas e metodológicas da história cultural, sociologia, literatura, psicologia, pedagogia e outros saberes que compõem a cultura impressa, propõe investigar as especificidades desde corpus documental considerando, sobretudo, suas intersecções com a temática da educação para a cidadania e direitos humanos. Deste entrecruzamento sobressai o entendimento do direito à leitura como elemento constitutivo do processo de humanização das crianças e dos adolescentes, sendo os impressos artefatos produtores de empatias imaginadas, mediadores entre o mundo social e os processos de escoalrização. Assim, o projeto investiga a função exercida por testemunhos, autobiografias, romances, textos epistolares na construção de sociabilidades, na educação dos sentidos e na produção de identidades (sociais, étnico-raciais, nacionais, políticas, dentre outras) relacionados aos processos de escolarização. Destas premissas sobressaem orientações concentradas em duas linhas principais: 1) Temas relacionados ao antes e depois da Lei 10.639/03 que trata da inclusão da história e cultura da África e dos afro-brasileiros no currículo escolar. 2) Questões relacionadas à violação dos direitos humanos praticadas por ditaduras no século XX em suas interfaces com o processo de ensino e aprendizagem.
 

Daniel Revah

Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (USP, 2004)
Leia mais...
 

Denise De Micheli

Dedica-se a temática relativa a adolescência, com ênfase nos aspectos relativos a:
a) drogas de abuso e áreas relacionadas (perfil do usuário, estudos etnográficos, prevenção do uso em diferentes contextos, intervenções presencias/virtuais dirigidas a usuários de substâncias e/ou familiares, fatores de risco e de proteção, vulnerabilidades e enfrentamento de situações de risco);
b) o impacto das mídias digitais no desenvolvimento psicosocioeducacional do adolescente;
c) o impacto do relacionamento docente-discente no processo educacional e na aquisição de habilidades.
Em todos os temas trabalhados busca-se identificar as situações de vulnerabilidade do adolescente, com vistas e desenvolver propostas para enfrentamento das situações identificadas, quer sejam no ambiente escolar, familiar ou social, de modo a melhorar a qualidade de vida do adolescente.
Suas pesquisas são desenvolvidas através de metodologia quantitativa, qualitativa ou mista (estudos quase-experimentais e randomizados).
 

José Roberto da Silva Brêtas

Dedica-se a investigações sobre a temática relativa à adolescência e juventude, na perspectiva das ciências humanas. Utiliza como método de pesquisa as Representações Sociais. As investigações têm ênfase nas seguintes temáticas: o corpo e a produção de subjetividades; representações do corpo, gênero e sexualidades; diversidade sexual e saúde; adolescentes e jovens em situação de violência e vulnerabilidade; metodologias de intervenção coletiva e processos de educação em sexualidade.

 

Liliane Desgualdo Pereira

Doutorado em Fonoaudiologia pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP, 1993)
Livre-Docência pela Universidade Federal de São Paulo, (UNIFESP, 2005)
Leia mais...
 

Magali Aparecida Silvestre

Doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP, 2008)
Pesquisadora do campo de formação de professores orienta trabalhos cujo foco se concentra em processos formativos de professores em exercício e licenciandos e suas implicações para o desenvolvimento profissional docente e a qualidade de sua atuação em escolas públicas. A base de investigação dos estudos e pesquisas desenvolvidas, parte da compreensão de que toda ação docente é uma atividade teórico-prática, situada, que se configura de acordo com o contexto em que se realiza e se materializa pelas condições objetivas de trabalho.
Tendo como referencial contribuições das Ciências da Educação, esses estudos procuram problematizar a profissionalidade docente, a constituição identitária do professor e seus processos de aprendizagem, assim como as configurações de suas práticas, de forma a contribuir com o campo de formação de professores e orientar discussões sobre políticas e práticas de formação. Recentemente vem se dedicando, também, aos estudos sobre avaliação educacional, mais especificamente às práticas avaliativas e seus desdobramentos nos processos de aprendizagem das crianças do ensino fundamental.
 

Márcia Cristina Romero Lopes

Coordena e orienta projetos na área de Linguagem direcionados à Aquisição de Linguagem, aos Estudos Enunciativos de Língua Portuguesa e ao Ensino-Aprendizagem de Línguas. Inscrita no referencial teórico da Linguística da Enunciação, investiga, nos diferentes campos do saber, temas referentes à produtividade e à criatividade da produção verbal e aos processos linguísticos que as sustentam; ao funcionamento da atividade de linguagem por meio da análise e observação da variação de usos, palco natural de experimentações e criatividade linguísticas; à proposição e investigação de práticas pedagógicas reflexivas direcionadas a questões léxico-gramaticais, entre outros.
 

Marcos Cezar de Freitas

Dedica-se ao tema das vulnerabilidades infantis, com ênfase nos aspectos antropológicos do convívio de adultos, especialmente professores, com crianças consideradas mais vulneráveis que as demais. As orientações incidem sobre os processos de configuração da identidade dessas crianças cujas particularidades do corpo e do intelecto são consideradas limitadoras do convívio e da participação plena em processos coletivos de ensino. A utilização da perspectiva antropológica para abordar a interação entre professores e crianças que são marcadas pelas particularidades de seus corpos e intelectos faz com que no âmbito das orientações assumidas predominem pesquisas etnográficas em escolas públicas. As escolas são pesquisadas "por dentro". As pesquisas orientadas têm conseguido elucidar a construção de significados para a vulnerabilidade infantil em cenários nos quais o corpo ou o intelecto da criança assumem dimensões desafiadoras e conflituosas, especialmente para as pessoas que são responsáveis por conduzir o ensino. É em perspectiva relacional que são consideradas as alteridades na infância. Orienta também pesquisas sobre interações entre adultos e crianças em outros cenários de institucionalização como hospitais e abrigos.
 

Maria Célia Leme da Silva

Coordena e orienta projetos de pesquisa em educação matemática nos anos iniciais escolares. As investigações dão destaque aos saberes elementares matemáticos, em particular aqueles relacionados com a geometria escolar, elaborados ao longo do tempo para o ensino e aprendizagem e para a formação de professores.
 

Maria de Fátima Carvalho

Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP, 2004)
Pós-Doutorado pela Universidade de São Paulo (USP, 2007)
Tem experiência de pesquisa na área de Educação e Psicologia, com ênfase na Perspectiva Histórico Cultural do Desenvolvimento Humano. Entre seus interesses acadêmicos destaca-se a educação de crianças e jovens com deficiência e seu papel nos processos de aprendizagem e desenvolvimento. A investigação desta temática é subsidiada por contribuições dos campos da Psicologia, Linguagem e Sociologia envolvendo o estudo de temas diversos como a linguagem e seu papel em processos de aprendizagem e desenvolvimento, a relação com o conhecimento, políticas e práticas de educação inclusiva e condições e modos de sua efetivação, Educação Infantil e Educação Especial. Os estudos têm como pressuposto e foco o caráter social -histórico e cultural- dos processos de aprendizagem e desenvolvimento e privilegiam a investigação dos processos interativos que configuram a educação inclusiva e especializada dessas crianças e jovens.
 

Maria Sylvia de Souza Vitalle

Doutora em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP, 2001)
Leia mais...
 

Mauro Muszkat

Linha de pesquisa Transtorno do Deficit de Atencao e Hiperatividade (TDAH) - Aspectos clínicos e suas repercussões no ambiente social, familiar e escolar. Neuromodulacao e neurofisiologia em TDAH.
Neuroplasticidade em crianças e adolescentes.
 

Mônica Carolina Miranda

Doutorado em Psicobiologia pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP, 2004)
Leia mais...
 

Regina Cândida Ellero Gualtieri

Investiga, numa perspectiva sócio-histórica, como têm sido compreendidas as dificuldades de aprendizagem de crianças, com o objetivo de identificar a construção e a permanência de um ethos pedagógico que localiza os problemas escolares dessas crianças, na sua biologia, na sua estrutura psicológica ou ainda em seu entorno familiar e social e subestima a possibilidade de a própria instituição escolar gerar comportamento reacional contra suas práticas e rotinas. Estuda também impactos desse ethos pedagógico nas vivências e no desempenho das crianças em seu percurso escolar com ênfase nos estigmas e nas discriminações negativas. Orienta trabalhos de pesquisa voltados para estabelecer correlações ou dissociações entre dificuldades na escolarização e medicalização dos problemas educacionais como também estigmas e discriminações que incidam sobre crianças em situação de fracasso escolar. As pesquisas se realizam baseadas em fontes documentais e estudos etnográficos desenvolvidos em escolas ou outras instituições educativas.
 

Rosario Silvana Genta Lugli

Pesquisa condições de trabalho docente, particularmente as representações dos professores sobre o que fazem e os contextos institucionais que condicionam o trabalho.Tem orientado análises das relações de trabalho no ambiente escolar, adoecimento e stress de professores no trabalho, bem como as representações dos professores sobre sua condição. Suas referências teóricas principais situam-se no campo da sociologia, particularmente sociologia das profissões e da educação. Em termos metodológicos, prioriza descrições e análises de ambientes escolares e entrevistas com professores.
 

Sueli Fidalgo

Sueli Fidalgo

Currículo Lattes

Trabalha na perspectiva da Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem, pensando, em primeiro lugar, nas possibilidades dos docentes e em suas formações para agir na vida das crianças em situação de vulnerabilidade. Acreditando que a história de vida não pode ser determinante e sim uma história de possibilidades, adota uma metodologia crítico-colaborativa de pesquisa e ação formadora, atuando em escolas públicas com as quais vem trabalhando em projetos de extensão que, dentre outras ações, buscam, juntamente com professores em-serviço e pré-serviço, (1) adaptar materiais didáticos para as crianças com deficiências que vão sendo identificadas; (2) desenvolver projetos de formação contínua para os professores; (3) identificar crianças em situação de vulnerabilidade e (4) formar grupos de apoio para auxiliar os professores que atuam com essas crianças. Com base na teoria sociohistórico-cultural de aprendizagem e desenvolvimento, desenvolve seus trabalhos de pesquisa e ação tendo em mente os conceitos de (1) Perezhivanie, ou vivência transformadora. (2) zona de desenvolvimento proximal, ou a distância entre o que a criança consegue fazer sozinha e o que consegue fazer com a ajuda de outros e (3) instrumento-e-resultado. No trabalho com crianças com necessidades especiais - assim como no trabalho com professores que atuam com tais crianças, esses três conceitos têm se mostrado essenciais para deixar mais claros os problemas pesquisados - cujas respostas sempre contêm outros problemas (fruto de uma pesquisa que se quer instrumento-e-resultado), mas também têm trazido novos sentidos e significados importantes para as ações de professores e pesquisadores da área.

 

Sueli Rizzutti

Linha de pesquisa Transtorno do Deficit de Atencao e Hiperatividade (TDAH) - Aspectos clínicos e suas repercussões no ambiente social, familiar e escolar. Neuromodulacao e neurofisiologia em TDAH.
 

Umberto de Andrade Pinto

Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (USP, 2006)
Pesquisador do campo de formação de professores e pedagogos orienta trabalhos direcionados aos processos formativos dos licenciandos e dos profissionais do ensino já em exercício profissional. A base de investigação dos estudos e pesquisas desenvolvidas parte da compreensão de que toda ação pedagógica é uma atividade teórico-prática, situada, que se configura de acordo com o contexto em que se realiza e se materializa pelas condições objetivas de trabalho. Neste sentido, busca trabalhar com autores que se aproximam do pensamento marxista gramsciniano, na perspectiva de articular as práticas educativas às transformações radicais da sociedade brasileira. Tem orientado trabalhos voltados para a formação de professores da educação básica, assim como de professores do ensino superior de diferentes áreas, em especial, nas áreas da saúde e da educação; pesquisa e também orienta trabalhos sobre a formação e atuação dos pedagogos, e sobre a pedagogia como campo de conhecimento.
 

Wagner Rodrigues Valente

Coordena e orienta projetos de pesquisa em educação matemática nos anos iniciais escolares. As investigações dão destaque aos saberes elementares matemáticos elaborados ao longo do tempo para o ensino e aprendizagem e para a formação de professores.
 



abril/2009