Reflexões sobre o livro O Retrato de Dorian Gray, por Helena H. V. Tângari

 

Em todas as sextas que participei, adquiri ou confirmei várias idéias que surgiram nas discussões. Surgiram muito assuntos, como o poder das palavras, sedução, beleza, venda ou perda da alma, solidão, a arte, experimento x experiência, influências, culpa, e diversos outros temas.

No ultimo encontro questionou-se bastante porque Dorian culpava Basílio pelo seu proprio comportamento, e para mim enxergo Dorian como qualquer outro ser humano, a maioria dos indivíduos querem culpar alguém por suas tragédias e momentos em que se perdem o controle, querem achar a causa do que ocorreu, e porque isso acontece?

Isso só acontece quando a ação não é esperada ou desejada pelo meio em que vivemos, pois quando acontece algo comum e esperado, seguramente já tem o autor a se mostrar. Ou seja, quando são coisas do bem temos sempre autores, mas quando são coisas que desagradam o meio, procura-se o culpado. Dorian não é diferente de ninguém. A atitude dele não desagradou somente a sociedade em que ele vivia, desagradou também a ele mesmo, e por isso ele desejou culpar alguém.

Outra questão que foi levantada, e que foi marcante para minha vida, foi o significado de liberdade, para mim ficou que, um ser livre é aquele que não sofre influência de nada, e por esta razão não consigo ver ou achar nenhum ser vivo livre, nem mesmo aquele que está nas florestas e não viu e nem foi encontrado por outro ser. Não vejo como viver no mundo de hoje sem influências, até as mudanças climáticas nos influenciam. Existem sim, seres que sofrem menores influências, mas em algum momento isso ocorre, e estes se dizem livres, por serem menos seduzidos por alguma influencia.

Este livro me influenciou menos que A Odisséia, acredito que no momento de vida que eu estava quando comecei A Odisséia, me encontrava mais sensível e sofrida por isso me identifiquei mais, e gostei mais. No livro O Retrato de Dorian Gray, já me encontro mais inteira quanto a minha vida, o que fica mais evidente para o meu momento, são as influencias e reações de cada um, que ocorrem de acordo com o momento de vida da pessoa, e talvez um aprendizado quanto a culpa, ou seja, não tentar procurar o culpado e sim a solução para continuar a viver essa vida cheia de mistérios e que talvez quando ela acabe, venhamos a compreendê-la.

Para o momento gostaria de agradecer por poder participar e enriquecer meus conhecimentos, principalmente quanto aos meus sentimentos, e posso dizer que eles estão mudando, estão sofrendo influências pelas reuniões e estas são desejadas por mim.

 

 


Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde - CEHFI
Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP
Ministério da Educação

Rua Loefgreen 2032, Vila Clementino, São Paulo, SP.

Fones: 55-11-55764848 ramal 2533 / 55-11-5084-8582