2012 - LAÇOS DE SANGUE: saberes e experiências sobre a hemofilia a partir de histórias de vida (por Fabio D. Bueno)

Por: FÁBIO DONIZETE BUENO

LAÇOS DE SANGUE: saberes e experiências sobre a hemofilia a partir de histórias de vida.

Tese apresentada à Universidade Federal de São Paulo para obtenção do título de Mestre Profissional em Ensino em Ciências da Saúde.

São Paulo 2012

 

Resumo

O processo histórico de formação da Medicina científica deu origem a transformações das relações médico-paciente que se caracterizaram pela desvalorização das experiências de vida e identidades dos doentes. O doente passou a ser um objeto e o foco da atenção médica centrou-se na doença. O objetivo principal de nossa pesquisa foi avaliar o potencial das narrativas transcriadas resultantes de projetos de história oral de vida como recurso pedagógico em processos educacionais que visem à humanização em saúde. Para isso realizamos uma pesquisa de história oral de vida com hemofílicos, familiares e médicos da unidade de hemofilia do Hospital Brigadeiro de São Paulo. Após os processos de gravação, transcrição e transcriação das narrativas de nossos colaboradores, realizamos uma discussão das identidades coletivas e das formas subjetivas de lidar com questões coletivas apresentadas nas narrativas. Discutimos também as os conflitos entre médicos e pacientes narrados pelos colaboradores e as posturas frente à relação médico-paciente apresentadas nas narrativas de nossos colaboradores médicos. Por fim, concluímos que as transcriações resultantes de pesquisas de história oral de vida têm potencial para serem utilizadas como recurso pedagógicos em processos educacionais que visem à humanização da relação médico-paciente, pois elas resgatam questões desvalorizadas pelo modelo biomédico de assistência a saúde: experiências de vida, identidades coletivas de minorias e demandas subjetivas do processo saúde-doença e da relação médico-paciente.

Abstract

The history of the development of scientific medicine has led to changes of thedoctor-patient relationships that are characterized by the devaluation of life experiences and identities of patients. The patient became an object and focus ofmedical attention focused on the disease. The main objective of our research was to evaluate the potential of narrative transcriadas resulting from oral history projectsof life as a teaching tool in educational processes aimed at the humanization of health. To do this we conducted a survey of oral history of life with hemophilia, their families and doctors of haemophilia unit of Hospital São Paulo Brig. After recording processes, transcription and transcreation the narratives of our employees, we conducted a discussion of collective identities and subjective ways of dealing withcollective issues presented in the narrative. We also discuss the conflicts betweendoctors and patients narrated by employees and postures against the doctor-patient relationship presented in the narratives of our staff physicians. Finally, we concludethat the resulting research transcreations oral history of life have the potential to beused as a teaching resource in the educational process aimed at the humanizationof the doctor-patient relationship, as they rescue issues devalued by the biomedical model of health care: experiences of life, collective identities of minorities andsubjective demands of the health-disease and the doctor-patient relationship.

Defendida em 04/04/2012

 

 

 


Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde - CEHFI
Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP
Ministério da Educação

Rua Loefgreen 2032, Vila Clementino, São Paulo, SP.

Fones: 55-11-55764848 ramal 2533 ou 2532